BREAKING NEWS

Eu não entendo por que a religião tem de se misturar com a política… [Leiam a matéria antes de opinar!]

Eu não entendo por que a religião tem de se misturar com a política… [Leiam a matéria antes de opinar!]
03 Ago
5:14

Saudações Bucaneiros! Como sempre dando uma navegada de boa e encontro algumas coisas interessante (e preocupantes). Hoje, por volta das 01:40 da manhã, entro no Blog “Um Sábado Qualquer” do Carlos Ruas e me deparo com isto logo abaixo:

2711-1-650x626

Tirinha do Blog Um sábado Qualquer [Carlos Ruas]

Não sabendo bem do que se tratava, resolvi então partir para a pesquisa e veja o que encontrei…


“Bancada evangélica tenta dar às igrejas poder de questionar o Supremo”


A proposta representa a próxima ofensiva da bancada evangélica que conseguiu aprovar sob o comando de Eduardo Cunha a isenção de impostos sobre repasses a pastores.


Mas como assim? Então quer dizer que a “igreja” (não se diz especificamente qualquer igreja) teria o poder de “questionar” o STF? Não tivemos algo parecido com isso há alguns séculos? Onde a Igreja (Católica) tinha o poder de coroar Reis e destronar Reis? Que julgava a seu bel prazer quem era correto ou incorreto perante seus dogmas e condenava à fogueira, enforcamento, afogamento, tortura e demais punições imagináveis? Estaríamos então regredindo à idade Média onde a “religião” ditava as regras?

Na modesta opinião deste velho lobo do mar, a religião dever ficar muito longe da política. Quando uma pessoa se lança à um cargo legislativo por exemplo, ela não deve levar consigo conceitos morais que possam exercer qualquer tipo malefício à outras pessoas. O legislador deve criar leis que ajudem a orientar o cidadão a conviver bem no ambiente junto com seus concidadãos que assim formam determinada nação. Não é porque EU acredito em Posseidon ou Calixto como deuses dos mares que os outros são obrigados a aceitarem isso. As outras pessoas NÃO SÃO OBRIGADAS a aceitar Jesus Cristo como seu salvador assim como NÃO SÃO OBRIGADAS a aceitar Maomé, Ogum, Buda, Krishna ou qualquer outro Deus como verdade absoluta. O legislador tem de ser neutro nesse quesito. Ele tem a religião dele, mas não deve usá-la para legislar. Isso cria diferenças e acaba incitando à uma nova modalidade de “caça às bruxas”.

A matéria completa, meus amigos, vocês encontram AQUI e AQUI também. Gostaria muito que entendessem que não sou contra ninguém e nem sofro de “Cristofobia” (nova patologia criada por alguns pseudos entendedores de religião). Tenho minhas convicções e crenças e sempre respeitei as dos outros, porém o que não cabe é usar de religião para Governar… Já foi provado em mais de 20 séculos antes e depois de Cristo que isso sempre foi uma forma nociva de controle.

As fontes das informações estão nos links, mas as Coloco abaixo para não perdermos o foco. Qualquer comentário sobre o assunto é bem vindo! Até mais Bucaneiros.

Blog Um Sábado Qualquer – Carlos Ruas

Jornal Último Segundo – IG

Siga-nos:
0
« »

Deixar uma resposta

Curta o nosso Blog!

%d bloggers like this: