BREAKING NEWS

Ódio e a Ignorância onde moram afinal?

Ódio e a Ignorância onde moram afinal?
30 Nov
6:01

Ódio Bucaneiros! Estou perplexo! Realmente estou chocado com o que tenho lido enquanto estou navegando nesse mar de ignorância chamado Internet. Claro que existem extensões de terras de coisas boas, ilhas de puro conhecimento e utilidades. Mas nunca, eu digo isso com ênfase, nunca houve uma exposição tão grande de burrice, desinteligência, ignorância com hoje em dia na Internet.

Ódio no Facebook

Facebook

Vou pegar esse nicho onde essa doença se prolifera e se desenvolve com uma força e rapidez tremenda. Aqui é possível ver todo tipo de anomalia (mental e social). Muito me admira ver como as pessoas expressam seu “ódio” que sempre existiu, mas vivia enrustido porque para as pessoas saberem, elas precisavam se expor e isso implicaria em uma série de coisas ruins (para ela). Em muitos aspectos temos todo o tipo de manifestação. ódio racial, político, ideológico, religioso, esportivo e até (pasmem) contra deficientes. Já vi tanta coisa pútrida nesse site que chegou a embrulhar o estômago. Algumas situações coloco abaixo, acompanhem:

Outor de ódio aos deficientes

Fim dos privilégios para deficientes!

Esse é incrível! Uma manifestação pelo fim dos “Privilégios” dos Deficientes. Até onde esse velho lobo do mar sabe, não são privilégios. São DIREITOS conquistados às duras penas. O autor dessa “3057@” argumenta sobre a vaga de deficiente nos shoppings. Elas ficam vazias e ninguém pode usá-las. Minha vontade é de pintar um símbolo de deficiente na cara dessa ou dessas pessoas. Elas possuem deficiência cefálica. Bom, deixo o link da matéria e vocês podem conferir. Para ler esta matéria clique AQUI!

Ódio religioso e ideológico

Logo da ATEA no Facebook

Outra que vemos, é a Página ATEA, que travou uma luta contra todas as religiões.

Primeiro vamos entender o que é a ATEA e seu movimento. Sua missão:

  • Congregar ateus e agnósticos, defendendo seus interesses e direitos, em todo o território nacional, bem como nos países ou estados independentes onde o Estado Brasileiro possui representação diplomática;
  • Combater o preconceito e a desinformação a respeito do ateísmo e do agnosticismo, dos ateus e dos agnósticos;
  • Auxiliar a auto-afirmação dos ateus e agnósticos frente ao preconceito e a rejeição sociais;
  • Apontar o ateísmo e o agnosticismo como caminhos filosóficos viáveis, consistentes e morais;
  • Promover sistemas éticos seculares;
  • Promover a laicidade efetiva do Estado, combatendo em todas as esferas legais qualquer tipo de associação que seja contrária ao descrito na Constituição da República Federativa do Brasil;
  • Promover o pensamento crítico e o método científico;
  • Defender os direitos legais de ateus e agnósticos podendo participar e contribuir com as instituições democráticas legalmente descritas e fundamentadas na Constituição da República Federativa do Brasil, fazendo sugestões, participando de discussões sociais e representando ações públicas ou privadas sempre com base nos objetivos descritos e fundamentados no estatuto.

É estarrecedor ver o que se publica nessa página. Religiosos se agredindo verbalmente (na verdade por escrito) com jargões sem sentido e agredindo Ateus. Esse Capitão não tem nada contra a ATEA, mas eu sempre que “Ateus” nunca se importaram com o que diziam deles. Uma página no Facebook para ridicularizar o Evangélico, o Católico, o Budista, o Power Ranger e por aí a fora o torna tão “ideológico” quanto qualquer fanático. Falo isso porque um dos marujos desse barco recebe as imagens “bem humoradas” da ATEA e percebe essa sutil farpada. Bom, mas mesmo assim a ATEA defende sua ideologia de NÃO ACREDITAR EM NADA! É um direito de todos. Eu por exemplo acredito em Posseidon, Calypso, Kthullu e Golgor. São Deuses dos mares que se eu não acender uma vela eles afundam meu navio sem piedade. Mesmo que esses mares sejam de informações.

Bom, isso me faz pensar em como o ser humano é instável. Hora uma força do bem e da ordem, outra é uma força maligna, propagadora do caos. O Desastre de Mariana em MG nos faz pensar em como a ganância do ser humano pode ser tão nefasta. Vivemos momentos de grande crise hídrica e uma empresa conseguiu matar um RIO INTEIRO em poucos dias. Não matou apenas mas matou também cidades, vilas. Acham que limpar as águas, filtrar a lama vai resolver? Você comeria um peixe pescado no Rio Doce? Levaria sua família para nada nele em um dia de calor? Estaria disposto a custear tratamento para câncer por decorrência dos metais pesados contidos nessa lama que hoje encobre o RIO? A população não está mensurando direito a extensão dos prejuízos desta catástrofe ecológica. Mas perguntem as pessoas de Chernobil, elas podem dizer com propriedade o que uma catástrofe desse porte. Aos habitantes de Fukushima no Japão. São catástrofes com consequências altamente contaminantes. Bucaneiros, eu não sou o dono da verdade, pois a verdade não tem dono não. Porém, penso que sou dono da minha opinião e nela eu posso depositar todo o bom senso que me é facultado. Como vamos recuperar nosso RIO? Especialistas dizem que se houver uma chance de recuperação do Rio Doce, ela levará mais 4 séculos. O mais lamentável é ver pessoas que poderiam estar preocupadas com isso, estão mais preocupadas com seus interesses mesmo que para isso tenham de se aproveitar de tragédias como essas. Sim, pois Governador Valadares sem nenhuma água e os distribuidores de água fazem o que? Aumentam os preços. Em resumo, isso é só uma mínima fração do que existe de nocivo nas pessoas. Tomem muito cuidado com o que seus filhos fazem, ouvem ou veem por aí. Um abraço ao Bucaneiros e nos vemos na próxima.

Siga-nos:
0
« »
2 Comments

    Aécio

    25 Agosto, 2016 at 18:01

    A frase a respeito dos deficientes de fato é muito estranha e repugnante por si só.
    Entretanto, devem haver pressupostos no contexto desta reivindicação, que eu imagino serem os seguintes:
    1) A regulamentação estatal de “quotas” para deficientes em diversas situações jurídicas: desde vagas em estacionamentos a peso maior em rankings de concurso público. Quanto à primeira, não há razoabilidade nem equidade quanto ao quorum ideal de vagas para atender às necessidades de condutores com deficiência de estacionarem, nos mais diversos locais, haja vista em alguns locais muitas vagas ficarem vazias, enquanto em outros serem insuficientes, o que poderia ser facilmente resolvido com o mínimo de legislação específica, utilizando apenas o bom senso e a maior das formas de inclusão existentes: a econômica, tratada no próximo tópico;
    2) “Isenções Fiscais”: tratam-se de armadilhas político-partidárias fundadas no marxismo e na incitação à luta de “classes”, pois dão a falsa impressão de que quem delas usufrui é o beneficiado, quando na verdade apenas é posto na condição na qual deveria todos os cidadão estar: o de não pagar impostos sobre o consumo, sistemática tributária mais justa e republicana possível, a do Estado Mínimo. No entanto, ao invés disso, o governo prefere assaltar os cidadãos sob o pretexto da “justiça social” (aos olhos esquerdistas, claro!), a partir da qual “direitos” surgiriam de meras “canetadas” e nunca dando mais liberdade a todos, mas restringindo as de um sob o pretexto de dar a outros, inchando a máquina estatal e diminuindo a capacidade de consumo da população EM GERAL, compreendido como o bem-estar material da mesma, inclusive o da parcela que padece de deficiências naturais, e, por conseguinte, constringindo também, dentre outros, seus direitos de locomoção.
    P.S.: Não estou aqui a defender a extinção de tudo que há disposto na lei a respeito das pessoas com deficiência, apenas estou questionando até que ponto essas tais políticas públicas de fato cumprem a função de isonomia real e inclusão de fato, ou apenas geram segregação social e/ou não passam de lobby político de esquerda.

    Abraço.

      Charlie Taratoa

      23 Setembro, 2016 at 18:01

      Olá Aécio.
      Muito obrigado pela sua opinião. Independente da sua posição política, opinar é realmente uma forma de alimentar ainda mais a Democracia. Opinar de forma inteligente, sem fazer apontamentos ou ofensas demonstra segurança e sabedoria.
      Obrigado por compartilhar conosco sua opinião.

      PS. O outdoor da matéria era referente à uma campanha feita por agência justamente para que as pessoas se conscientizassem mais na questão do Deficiente.

Deixar uma resposta

Curta o nosso Blog!

%d bloggers like this: